O lado B do Rush

  • Facebook Social Icon

“As pessoas gostam de acreditar na liberdade da música, mas prêmios pomposos e compromissos intermináveis destroem a ilusão da integridade”.

Esse é um dos trechos mais emblemáticos de “Spirit of Radio” que ilustra muito bem a própria identidade do Rush que tem em seu repertório: músicas longas, canções pouco comerciais e (quase) ausência nas paradas do sucesso. 


Mesmo que os fãs do Rush nunca tenham dado muita bola para hits, ainda assim algumas músicas são menos ouvidas que outras, OU (com letras garrafais) se destacam por uma composição diferente das demais faixas do mesmo álbum. Conceituar “músicas lado B” do Rush é uma tarefa muito árdua, mas vamos tentar. Resolvemos fazer nos próximos dias aqui no Portal Rush Brasil, um compilado da discografia de Balex Lifeson, Neil Beart e Geddy Blee e vamos começar analisando o primeiro álbum. Por favor, opinem e discordem! Abs com YYZ!

=============================
Álbum: RUSH (1974)
Música: Here Again

O primeiro álbum Rush, tem a aquela pegada hard, sonalidade frenética, guitarra, bateria e baixo num ritmo acelerado e visivelmente influenciado pelo Led Zeppelin. No entanto, a quarta faixa “Here Again” cuja letra foi composta por Alex Lifeson é um ponto fora da curva em que percebemos menos velocidade dos instrumentos e mais presença da potência da voz de Geddy Lee.
“Eu disse que toquei essa canção, tantas vezes antes que a melodia fica se repetindo, crescendo novas ideias, fluindo acordes e notas como um rio montanhoso sangrando” – trecho de Here Again.

Álbum em análise: Fly by Night.
Música: Rivendell.
Fonte e agradecimento: Rush Fã Clube, Leo Skinner e Marcelo Monteiro

 

Quantas músicas do Rush suscitam nosso imaginário que remontam a uma vila dominada por elfos? Nós conhecemos apenas uma: Rivendell.

Composta por Geddy Lee e letrada pelo professor Neil Peart, essa canção mergulha profundamente no universo de Senhor dos Anéis e é o local descrito como um refúgio da raça élfica: Um lugar que você pode escapar do mundo. / Onde o Senhor da Escuridão não pode ir. / Paz de espírito e santuário de sonoro fluxo de água.

A música é tão sonolenta que os próprios integrantes do Rush dormiam. Como assim? A gente explica. Muita energia foi gasta para a mixagem do álbum Fly by Night e o produtor Terry Brown frequentemente colocava Rivendell para tocar nos finais das sessões. A ideia a princípio era que todos pudessem opinar sobre o formato da música, mas quando começava tocar aquela “flautinha élfica”, o sono impregnava em cheio e todo mundo acabava dormindo no sofá. Com todos esses requisitos, não tem jeito, Rivendell é a música lado B do álbum Fly by Night.
P.S: Apenas para reforçar, “a flautinha” não é tocada por uma flauta, é um efeito de guitarra com pedal de volume e umas ambientações criadas por Alex LIfeson.

  • Facebook Social Icon
  • Facebook Social Icon

Álbum em análise: Caress of Steel.
Música: The Fountain of Lamneth.

Chegamos no álbum indiscutivelmente mais lado B da banda: Caress of Steel. Fracasso comercial, esse álbum é muito condenado pela crítica, mas é aclamado como um grande clássico do Rush. 


Mesmo sendo bem visto pelos fãs, até mesmo Alex Lifeson disse uma vez sobre "Panacéa", que é uma parte da canção "The Fountain of Lamneth": foi uma tentativa de fazer algo que não deu certo".

  • Wix Facebook page

+55 (31)-99361-0300

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now